Zoo Brasília

O Zoológico de Brasília foi fundado em 6 de dezembro de 1957 e abrange uma área de 713 hectares, incluindo a Área de Relevante Interesse Ecológico do Riacho Fundo. A instituição abriga mais de 850 animais entre mamíferos, aves, répteis e artrópodes de 186 espécies diferentes, sendo 53 destas consideradas ameaçadas e dependentes de esforços conservacionistas. Isso gera uma responsabilidade enorme que é refletida em 19 programas nacionais e internacionais de conservação, um banco de germoplasma mantido em parceria com a EMBRAPA e no histórico de sucesso na reprodução de espécies ameaçadas, como o ádax (Addax nasomaculatus), a cotiarinha (Bothrops itapetiningae), o lobo-guará (Chrysocyon brachyurus), a onça-pintada (Panthera onca), o tamanduá-bandeira (Myrmecophaga tridactyla) e a ariranha (Pteronura brasiliensis). Desta última espécie, por exemplo, o Zoológico de Brasília se orgulha de deter o mais bem sucedido registro de nascimentos no mundo, com 68 ariranhas nascidas no Distrito Federal desde 1975 e sendo o seu conjunto genético um dos melhores representados em instituições nos Estados Unidos e Europa. 


 

Todas essas ações estão em consonância com a recomendação da Associação Mundial de Zoos e Aquários - WAZA de que os zoológicos devem pautar sua atuação na conservação das espécies na natureza. Um relatório divulgado em 2016 pelo Fundo Mundial para a Natureza - WWF alerta para o fato de que a Terra perdeu 58% da sua vida selvagem nos últimos 40 anos. Uma destruição que rivaliza, em suas dimensões, com a extinção dos dinossauros há 65 milhões de anos, e está sendo causada pelo avanço da humanidade sobre os ecossistemas e o consumo excessivo e impensado dos recursos naturais. Ao completar 60 anos de existência, o Zoológico de Brasília desempenha, mais do que nunca, um papel fundamental no combate a esta crise planetária. Além de buscar se tornar um centro de referência e excelência no manejo de fauna, pesquisa científica e educação ambiental, tem como meta institucional prover uma cadeia de serviços ambientais, multidisciplinar, objetivando atuar de maneira pragmática em todos os biomas nacionais ou internacionais, alocando conhecimento e recursos disponíveis em prol das espécies sob seus cuidados.

Borboletário Lobo-guará

Todas com uma função essencial em seus respectivos nichos ecológicos e representando, também, parte da própria história da vida neste planeta com mais de 1,5 milhões de espécies conhecidas. E cada uma destas, sejam minúsculas formigas ou até nós mesmos, estão unidas por uma grande teia cujo início remonta 4 bilhões de anos atrás, num instante tão mágico e sublime como o surgimento dos primeiros seres vivos. Este sentimento de conexão consiste em outro ponto crucial na meta institucional do Zoológico de Brasília: prover uma constante experiência positiva a todos os visitantes de forma que não procurem a instituição somente como um local que promova lazer ou momentos aprazíveis, mas também para obter informações sobre o processo de degradação ambiental e o quanto é preciso fazer para deter seu aumento exponencial. Isto consiste, principalmente, em descobrir que cada espécie e seus respectivos indivíduos depende de ações, grandes ou pequenas, que estão ao alcance e capacidade de cada um de nós. Esta não é uma tarefa que será desenvolvida exclusivamente pelo Zoológico de Brasília, pois seu escopo é imenso para apenas uma instituição. Porém, nossa equipe está empenhada a encarar o desafio e mostrar que esta é uma missão não de um, mas de todos que se comprometem com um amanhã e um planeta melhor para todas as formas de vida.